Português Español Italiano English
Apostilas PDF Grátis
Sitemap Adobe Autodesk Corel Microsoft Open Source Variadas

Apostila Manual teleprocessamento e redes - Meios físicos de comunicação


 









Apostila Manual teleprocessamento e redes - Meios físicos de comunicação

Apostila Manual teleprocessamento e redes - Meios físicos de comunicação BAIXA ESTA APOSTILA GRÁTIS
Apostila em formato PDF para que você possa guardá-lo para o seu leitor de PC, e-book ou impressão.


Vínculo Patrocinado



Nota: A Apostila você está prestes a baixar está compactado formato. Rar, se você não tiver um descompactador de arquivos rar você pode baixar o 7-zip e você pode exibir o Foxit Reader PDF.



Índice Apostila Manual teleprocessamento e redes - Meios físicos de comunicação


Meios Físicos de Comunicação I
Cabos elétricos
Cabo de par trançado
Comprimento do trecho
Construção de um cabo de par trançado
Cabo de 4 pares com diferentes passos e seus diferentes comprimentos
Classificação em categorias
Categoria
Aplicação Típica
Freqüência Sinalização
Situação das Normas
Categorias para cabos de par trançado
A atenuação
O cross-talk e o NEXT
Medição do NEXT em um cabo típico
Medição do NEXT utilizando a técnica Power Sum em um cabo de quatro pares
ACR
Gráfico típico do ACR para determinado cabo
Freqüência(MHz)
Freqüência(MHz) Atenuação (dB) (Valores Máximos a 20oC)
Atenuação de Diafonia (dB) NEXT (Valores Mínimos do pior par)
Valores admissíveis para atenuação e NEXT em um cabo de categoria 5
Contagem de pares em um cabo de par trançado
Outras limitações para cabos de par trançado
Normas de conectorização
Número do Par
Cor do TIP
Cor do RING
Padrão de cores para cabos de quatro pares
Sequência de pares nas normas T568A e T568B
UTP – Unshielded Twisted Pair
STP – Shielded Twisted Pair
Cabo Coaxial
Estrutura construtiva de um cabo coaxial
Configuração do Cabeamento
Configuração típica para cabeamento coaxial
Instalação coaxial típica com caixas de conectorização
Normas de Conectorização
Nomenclatura
Nomenclatura típica em cabos coaxiais para redes de computadores
Outras limitações para os cabos coaxiais
Cabos de Fibra Ótica
Princípio de funcionamento
Princípio de funcionamento de uma fibra ótica
Classificação quanto ao modo de transmissão
Multimodo
Monomodo
Riscos à saúde
Exposição dos olhos (operação)
Fragmentos de fibra (instalação)
Materiais da infra-estrutura do cabo (instalação)
Aterramento dos elementos condutores (operação)
Detalhes construtivos
Estruturas típicas de fibras óticas externas
Classificação dos sinais luminosos
Bandas de freqüência utilizáveis para transmissão de sinais óticos
Conectorização
Conector SMA
Conector ST
Conector SC
Técnicas de Emenda e Fusão
Emenda e fusão entre dois segmentos de fibra ótica
Exercícios
Sobre cabeamento em par trançado
Sobre as normas de conectorização para cabos de par trançado
Em uma empresa que possui oito computadores ligados em rede coaxial
Sobre cabos de fibra ótica
Porque a emissão de luz vermelha de baixa intensidade por um conector de fibra ótica pode provocar a cegueira
Informe a função de cada um dos componentes da infra-estrutura de um cabo de fibra ótica
Tracionadores
Rip-cord
Armadura metálica
Para cada uma das afirmações abaixo
Considerando exclusivamente suas características físicas

Baixar




Baixe o descompactador 7-zip
Baixe o Foxit Reader baixo para ler os apostila.






ApostilasPDF © 2009 - Licença Creative Commons